Solução para a Pobreza Rural

A pobreza rural é uma luta pela vida que se perpetua ao longo da sua existência.

Imagine que os seus avós tinham um grande pedaço de terra fértil com cerca de 10 hectares que há apenas 20 anos atrás fornecia comida suficiente para alimentar toda a família e ainda sobrava alguma para vender e gerar rendimentos. Por tradição este pedaço de terra é da sua família e nela fica entre gerações, por herança. É o seu bem mais precioso. De qualquer forma, apesar da vida não ter sido má, não foi possível adquirir mais terra.


Com o passar dos anos, como o seu pai tinha 6 irmãos, a terra foi dividida entre os 4 irmãos rapazes, enquanto que as 2 irmãs casaram e foram viver nas terras que os respetivos maridos herdaram. Desta forma, o seu pai e os irmãos ficaram cada um com menos de 3 hectares de terra. Hoje, tem mais de 20 primos – Ou seja, o mesmo pedaço de terra sustenta agora mais de 30 pessoas, quando antes eram apenas 8. Ao longo dos 20 anos, a terra foi lavrada pelo menos 2 vezes ao ano, permitindo rendimento para o uso de fertilizantes não orgânicos. O resultado agora é um pedaço de terra usado em excesso, com um nível de pH muito reduzido e cultivos menos rentáveis. Temos assim mais bocas para alimentar, com muito menos comida para dar.

Isto é o significado da agricultura de subsistência. Se é a sua sorte na vida, é muito provável que não venha a ter os recursos necessários para mudá-la. 

Adicionalmente, o rendimento diminuiu e o custo de vida aumentou. O querosene utilizado para a luz noturna custa agora mais de 1 dólar por litro e a família necessita de pelo menos 100 a 200 ml por noite. O custo da madeira e do carvão subiram consideravelmente. Ao longo do tempo, todas as árvores de madeira da propriedade da família foram cortadas para fazer lenha para cozinhar. Agora, a madeira tem de ser trazida de longe, de outros terrenos, muitas vezes ilegalmente e, como resultado, tornou-se num bem caro. O mesmo se aplica ao carvão produzido ilegalmente. Fazendo agora as contas, já estamos a somar um custo de mais de 15 dólares por mês em madeira e carvão, o que significa praticamente metade do seu rendimento mensal.


A sua esposa e a sua filha tossem muito e sofrem de doença respiratória causada pelo fumo da fogueira para cozinhar. Na realidade, foi essa a causa da morte da sua falecida mãe. O acesso a cuidados de saúde sai muito caro.

A vida é difícil e não tem à vista uma solução para os seus problemas. As suas crianças estão a frequentar a escolar. Esperemos que daqui a 20 anos tenham um bom emprego e ganhem o suficiente para o ajudar a si, caso ainda esteja vivo – os adultos na sua família tendem a não ir além dos 40 anos. As crianças quase não têm roupas para vestir e o seu uniforme escolar custa cerca de 5 dólares. No mês passado, a sua filha foi mandada para casa porque o seu uniforme estava demasiado ‘usado’.

A sua vida é uma vida de pobreza rural, a chamada Base da Pirâmide demográfica que “vive com menos de 2 dólares por dia”.

E se encontrasse uma forma de investir os seus 20 dólares mensais, que gasta atualmente nas suas necessidades de energia, numa solução que lhe fornece alternativas mais viáveis e positivas? Escolheria usar energia renovável sob a forma de eletricidade solar para ter luz e biogás para poder cozinhar?


Escolheria usar fertilizante orgânico para revitalizar as suas terras e melhorar a qualidade e quantidade das suas colheitas?

Pensamos que sim! E a nossa experiência de campo na comunidade rural em África assim o confirma. A população destas comunidades anseiam por alternativas.

A RVE.SOL, através da iniciativa “Mudando a Vida Rural para Sempre” e da solução KUDURA, está a criar alternativas para quebrar este ciclo de pobreza rural, ao providenciar a estas pessoas aquilo que realmente precisam – uma “lufada de ar fresco” para melhorar as suas vidas.

vivian vendeirinho

Leave a Comment

Visita a uma Habitação Rural de Sidonge Luzes, Ação!
Top